Crescem as atividades e os resultados das
Academias de Treinamentos da Duratex

Conhecimento
multiplicado

A capacitação e a reciclagem das equipes das diversas áreas nos aspectos técnicos, operacionais, comportamentais e culturais é uma preocupação permanente da Duratex.

Além disso, há nas unidades de negócio e em setores estratégicos uma visão cada vez mais presente da importância de valorização da formação complementar, de modo a preparar as pessoas para novos desafios. Essa atenção vem sendo materializada nas chamadas Academias de Treinamentos, que disponibilizam programas de capacitação cujos conhecimentos oferecidos contribuem, inclusive, para a evolução profissional dos colaboradores.

Madeira

“Oferecemos uma formação adicional para quem deseja ser protagonista na carreira”, explica o analista Diego Devellis da Silva, referindo-se às atividades da Academia de Treinamentos de Operações Madeira. “É uma forma do colaborador ter algo a mais em sua formação, preparandose para oportunidades internas.” A Academia da Madeira teve seu início em abril deste ano, como projeto-piloto voltado à fábrica de painéis de Agudos, com expansão futura às demais unidades.

As vagas dos cursos são preenchidas após a realização de um processo em duas etapas. A primeira delas é a manifestação de interesse do colaborador, no momento da inscrição. A segunda fase, após validação dos respectivos supervisores, é a de triagem e seleção, quando são levados em consideração aspectos como perfil e potencial de uso dos conhecimentos em situações do trabalho. A Academia da Madeira já ofereceu treinamentos a quatro turmas – duas no curso de Mecânica Básica, uma no de Elétrica Básica e outra no de Operador de Caldeira – com 15 vagas para cada turma. As aulas são realizadas fora do horário de trabalho.

136
candidatos já se
interessaram pelos
cursos em Agudos

Suprimentos

23
cursos foram
realizados em 2017
e 2019, em temas
como negociação,
gestão de projeto
e strategic sourcing

A participação voluntária dos colaboradores também é marca da Academia de Suprimentos, pioneira nesse tipo de formação na Duratex. Lançada em 2016, tinha como público prioritário os cerca de 70 profissionais da equipe de compras. Seus cursos são divididos em módulos mensais, com foco na formação de profissionais de Suprimentos. “Queremos que os profissionais da área, além de desenvolverem suas competências técnicas, tenham um espaço de troca e de aprendizado por meio da criação compartilhada”, explica Cristiana Oliveira, RH Negócios da Diretoria Financeira.

Dentre as iniciativas mais importantes, destacou-se a criação de um módulo exclusivo para fornecedores, com a abordagem de assuntos como sustentabilidade, Código de Conduta, segurança no trabalho e combate à exploração de crianças e adolescentes. O objetivo é o desenvolvimento da cadeia de fornecedores da companhia. Outra realização recente foi a ampliação das formações para as diversas áreas da Diretoria Financeira, com a participação de colaboradores da Tesouraria, da Controladoria e do Centro de Serviços Compartilhados (CSC).

PLANEJAMENTO E LOGÍSTICA

154
profissionais participaram
dos dois primeiros módulos
da Academia

A experiência das Academias chegou em março deste ano ao planejamento e à logística do negócio Madeira. Os treinamentos têm como foco a formação em gestão de supply chain, incluindo planejamento e gerenciamento de compras, operações, estoque, manufatura e distribuição e logística.

Participam das atividades colaboradores indicados pelo time de liderança do negócio ou pelo corporativo. “O treinamento tem relação direta com as atividades diárias desses colaboradores, oferecendo conceitos a serem utilizados no cotidiano profissional”, afirma Alexandre Brant, gerente de Planejamento e Logística.

Os dois primeiros módulos serviram a públicos distintos. O primeiro módulo apresentou conteúdos mais gerais sobre planejamento, programação, demanda, S&OP e logística. O segundo ofereceu conceitos mais específicos, com exercícios práticos para o dia a dia de trabalho, em especial de planejamento e logística. A programação de 2019 foi encerrada em setembro com um módulo sobre desenvolvimento de produtos. “Já estamos estruturando as novas turmas para 2020”, anuncia Alexandre.

DECA/HYDRA

110
colaboradores já
participaram de mais
de 20 treinamentos

O desenvolvimento de competências profissionais diferenciadas também tem estimulado a Unidade de Negócio Deca a investir em formação adicional aos colaboradores. Um exemplo são as atividades da Academia Lean, instituída em junho de 2018 na fábrica da Hydra em Aracaju (SE), que, recentemente, implementou o conceito de células de trabalho nas linhas de montagem.

O objetivo é, com base na filosofia de gestão criada na indústria japonesa do pós-Segunda Guerra Mundial, oferecer conhecimentos que contribuam para a diminuição de desperdícios e a sistematização de processos, com base em necessidades identificadas no dia a dia de trabalho. “O engajamento aumentou e já obtivemos importantes ganhos de produtividade e redução de custos”, explica Maria Vitória Brochado dos Santos, gestora de Recursos Humanos da unidade.

METAIS

100%
dos treinamentos
das fábricas vêm
sendo padronizados

A criatividade e os recursos tecnológicos também podem ser aliados importantes no processo de formação dos colaboradores, como demonstram iniciativas recentes de capacitação operacional desenvolvidas na Unidade Metais São Paulo, da Deca, num embrião potencial de uma futura Academia de Operações Industriais de Metais.

Desde fevereiro deste ano, a unidade tem se dedicado à padronização de seus treinamentos. O primeiro passo foi o mapeamento de todos os processos de trabalho, com a definição de uma matriz de habilidades necessárias ao desempenho profissional abrangendo todas as áreas e os cargos dos colaboradores da operação.

O projeto inclui ainda os pilares de Gamificação (jogos) e Gestão de Treinamentos. O primeiro pilar, por exemplo, visa à interação dos colaboradores com conteúdos disponibilizados em plataformas online, como os do game “Hora do Desafio”, que se presta a reforçar o aprendizado de uma maneira mais dinâmica. “No jogo, os colaboradores são instigados a demonstrar seus conhecimentos e recebem, como contrapartida, prêmios pelos resultados alcançados”, explica Tiago Bruni, coordenador de RH da unidade